Buscar
  • Educom UFU

Projeto de alunos de Medicina da UFU coloca estudantes como protagonistas na comunicação de saúde

Por: Lucas Figueira e Sara Camelo





O projeto MEDTalks, desenvolvido por alunos do curso de Medicina da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), tem tido destaque no âmbito acadêmico, por colocar os alunos no centro das discussões sobre a Medicina.


A iniciativa foi desenvolvida em agosto de 2019 por Lavinia Amaral, de 21 anos, que está no 5º período do curso, e outros dois amigos, Nicolas Teixeira Cabral e Nayani Alves Ramos. A ideia era criar um espaço para que alunos ocupassem uma posição central no debate sobre comunicação de saúde e produção de conhecimento.


“Nós organizamos o MED Talks, inicialmente, como um evento. Ocorreu em novembro, com duração de uma noite, e contou com palestras de quatro estudantes de medicina e um do jornalismo. Na data, abordamos assuntos variados, relacionados, principalmente, à saúde”, explicou Lavinia.


O evento contou com cerca de 110 pessoas, o que, segundo a idealizadora, foi abaixo do esperado. Mas, também, surpreendeu no engajamento. “Apesar do público pequeno, o pessoal gostou bastante do evento. Muitas pessoas que participaram, e outras que ficaram sabendo depois, nos disseram que deveríamos fazer uma segunda edição, pois queriam participar e ter a possibilidade de falar.


Nós ficamos super animados, pois essa ideia de construir um espaço no qual o estudante é protagonista foi muito bem aceito pelos outros alunos. Hoje, o MED Talks é um conjunto que atua em várias frentes”, completou.


Importância do projeto


Além do evento inicial, o projeto também grava podcasts e conta com a produção de artigos, com linguagem acessível e de fácil entendimento.


“Atuamos em cenários diferentes, para capacitar o discente, promovendo a divulgação científica. Assim, os estudantes passam a ser difusores do que é desenvolvido na academia”, comentou.


“Vivemos um momento, não só de pandemia, mas também de ataque às universidades federais. É um período de anticientificismo. As redes sociais, a internet e o próprio podcast passam a ser porta-vozes daqueles que querem aproximar a ciência da sociedade novamente”, completou.


Para acessar os materiais do “MED Talks”:

51 visualizações