Buscar
  • Educom UFU

“Café com Paulo Freire” reúne ingressantes do jornalismo para debater sobre educomunicação

Por: Sara Oliveira e Duda Yamaguchi

O evento foi criado para incentivar o debate entre os alunos do curso de Jornalismo sobre a obra "Extensão e Comunicação?", de Paulo Freire. (Foto: Duda Yamaguchi)

Aconteceu na Universidade Federal de Uberlândia, no dia 17 de abril, a sexta edição do Café com Paulo Freire, evento proposto pela disciplina “Comunicação e Educação”, do primeiro período do curso de Jornalismo da UFU. No encontro estavam presentes cerca de 43 alunos, que discutiram sobre a obra "Extensão ou Comunicação", do autor renomado na área da pedagogia, Paulo Reglus Freire.

O “Café com Paulo Freire” surgiu há alguns anos, com o intuito de sair do ambiente de quatro paredes para estar num ambiente mais aberto. De acordo com a professora da disciplina e organizadora do evento, Diva Silva, a proposta de um café segue uma ideia do próprio autor. “Tem a ver com o que Paulo Freire desenvolvia nos círculos de cultura, que eram rodas de conhecimento para que as pessoas pudessem se olhar e ouvir um ao outro, tendo a sensação de todos estarem no mesmo nível em discussão aberta”, conta.

Além da roda de conversa, cada aluno entregou uma resenha com alguns apontamentos sobre a obra "Extensão ou comunicação", que constará na nota final da disciplina.


Alunos se reuniram para trocar conhecimentos e experiências a respeito do tema com a professora Diva Silva e os monitores da disciplina. (Foto: Duda Yamaguchi)

A obra de Freire é considerada um clássico pelos pesquisadores da área de Comunicação e Educação, por seu modo didático de pensar a relação do sujeito e do conhecimento, e como esse conhecimento pode ser repassado adiante de uma maneira comunicativa. Segundo a professora Diva, “é interessante quando no primeiro período do curso de Jornalismo já se propõe uma discussão sobre essa obra, pois isso abre possibilidades de ver as demais ações dentro do curso de forma mais comunicativa e humanizada”. É importante, portanto, estabelecer relações equânimes com o sujeito, de maneira que exista uma troca de conhecimentos horizontal.

Na resenha realizada pelos alunos, a importância da obra para a formação do jornalista era um tópico necessário a ser abordado. Para Ana Luíza Vargas, aluna do curso de Jornalismo e monitora da disciplina de “Comunicação e Educação”, o livro é fundamental para que se entenda a diferenciação entre a extensão e comunicação na transmissão de conteúdos jornalísticos. “A obra mostra que nós precisamos levar a informação ao público de um jeito didático que não seja, simplesmente, estendido, como diz Paulo Freire, para que exista o diálogo entre os dois lados e se propicie um jornalismo mais humano”, explica. Dessa forma, o público pode desenvolver um pensamento crítico e formular opiniões próprias sobre o assunto transmitido, sendo essa a preocupação principal de Freire em seu ensaio.

O curso de Jornalismo da UFU pertence à Faculdade de Educação (FACED), um fator relevante para o fato de a disciplina estar presente na grade curricular do curso. No entanto, para Diva Silva, a matéria deveria ser recorrente em qualquer proposta curricular do curso. “Todo processo comunicativo é um processo educativo e formativo, por isso precisamos possibilitar a discussão, a comunicação e o diálogo”, diz, “e uma das formas de vivenciar isso, é trabalhar a inter-relação entre comunicação e educação”.

Veja o vídeo realizado durante evento, com alguns depoimentos de alunos que participaram do debate.


178 visualizações