Relações dialógicas no processo de educomunicação: análise em uma rede social na internet. Silva, Danilo Fonseca. 2015.

As redes sociais na internet estão imbricadas aos tempos e espaços acadêmicos, configurando se, se adequadamente incorporadas aos processos educativos, como possíveis alternativas para interações dialógicas no processo de construção do conhecimento. A reunião e a interação de docentes e discentes em uma rede social na internet, como parte de um processo educomunicativo, proporcionam relações dialógicas que contribuem para a livre construção do conhecimento e para a ressignificação desses sujeitos?  (Leia mais)

Oficina educomunicativa de produção de vídeos: construção de significados sobre problemas socioambientais. Saldanha, Felipe Gustavo Guimarães. 2016.

Esta pesquisa tem como objetivo analisar a construção de significados por alunos do ensino fundamental de escolas públicas de Uberlândia (MG) sobre os problemas socioambientais do seu entorno a partir das capacidades de leitura e expressão audiovisual. A fundamentação teórica tem como base o construtivismo, por meio das contribuições de estudos sobre: desenvolvimento cognitivo; aprendizagem significativa; processos cognitivos e tipos de conhecimento; princípios da aprendizagem com tecnologias; educomunicação com foco na leitura crítica de mídia; e Educação Ambiental Crítica. (Leia mais)

Infância e cinema de animação: o poder da mídia na (re)construção das identidades. 
Braz, Carolinne dos Santos. 2013.

Este trabalho busca analisar as relações de poder estabelecidas entre espectador infantil e mídia cinematográfica por meio de dispositivos disciplinares, como a veiculação de discursos sobre temáticas atuais que atuam ensinando modos de ser. No percurso de interpretação dos discursos, selecionamos dois filmes cinematográficos, gênero animação, com destaque para as seguintes temáticas: no filme Up: Altas aventuras, observamos as construções culturais mediadas pelo cinema; e algumas relações sociedade natureza, focando as abordagens: busca por encontrar o local de pertencimento no mundo, articulando as memórias e raízes culturais às exigências do mundo contemporâneo; e retorno do humano ao meio natural como tentativa de fuga à realidade urbana.  (Leia mais)